0
Seu carrinho está vazio :(
Dicas

Guia Introdução Alimentar para Bebês: O que você precisa saber!

Publicado em 11.01.2022 |
3 visualizações

É muito comum que as mamães, principalmente aquelas de primeira viagem, tenham dúvidas e acabem ouvindo diversos conselhos sobre como cuidar de seus filhos. Dessa forma, parentes, amigos e até mesmo nossos pais tentam ajudar em aspectos como a hora do banho, o que fazer para o bebê dormir melhor e, é claro, com a introdução alimentar da criança.

Mas com tantas informações recebidas de várias fontes, fica complicado saber o que efetivamente devemos levar em conta ou não. Nesse cenário, uma das maiores dúvidas que as mamães podem ter envolve a introdução de alimentos que não são o leite materno no cotidiano da criança, algo que tem uma relação direta com a saúde do bebê.

Pensando nisso, hoje falaremos um pouco mais sobre a introdução alimentar para bebês e daremos dicas do que você pode e do que você não deve dar para seu filho antes dos dois primeiros anos de vida. Por isso, venha conosco e boa leitura!

Introdução Alimentar Bebê

Introdução Alimentar: O que é? Guia Completo!

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), bebês com até dois anos de vida devem ser alimentados com o leite materno, pois o líquido é uma importante fonte de proteínas, vitaminas, minerais, carboidratos e gorduras, além de ajudar na formação da flora intestinal e do desenvolvimento do sistema imunológico da criança, graças aos anticorpos e bactérias probióticas presentes nesse leite.

Contudo, dos seis meses de vida em diante, as crianças já possuem um sistema digestivo capaz de processar alguns tipos de alimentos sólidos e já podem começar a experimentar outros sabores em sua rotina. Para saber se o seu bebê está pronto para essa nova etapa, é importante observar se a criança já consegue sustentar o pescoço e o tronco, sentando-se sem apoio ou apoiada apenas em uma região.

Outro aspecto importante para saber se a criança já pode começar com a introdução alimentar é verificar se ela já não tem mais o reflexo de protusão de língua (que é quando o bebê coloca a linguinha para fora da boca, impedindo que a criança coloque objetos na boca). Também é importante notar se a criança já tem interesse em segurar objetos e colocá-los na boca.

Caso o seu bebê já apresente essas características, então já estará pronto para receber outros alimentos que não o leite materno em sua rotina. Contudo, uma das principais dúvidas aqui é por onde começar. Ou seja, quais são os alimentos que podem e os que não podem ser oferecidos ao bebê? É sobre isso que falaremos no próximo tópico.

Por onde começar a introdução alimentar para bebês?

Até os seis meses, o paladar de uma criança é como uma folha em branco. Ou seja, como ela se alimenta exclusivamente do leite da mãe, não conhece os diversos sabores que existem por aí e, por isso, cabe a você preencher essa página com os sabores que a criança levará consigo ao longo da vida, sendo isso um passo crucial para o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis na criança.

Dessa forma, é importante saber que os bebês têm uma preferência natural pelo sabor doce assim que ficam prontos para começar a receber alimentos sólidos em sua rotina e, por isso, o indicado para começar uma boa introdução alimentar são as frutas, pois, no geral, possuem um sabor adocicado bastante marcante e uma textura que é melhor aceita pelas crianças.

Todavia, você não deve oferecer logo uma salada de frutas para o seu bebê, pois isso seria muita informação para o paladar da criança e, consequentemente, pode atrapalhar todo o processo de iniciação aos alimentos sólidos. Assim, o ideal é que você comece dando um tipo de fruta uma vez por dia, complementando a alimentação com o leite materno.

Com isso, você acaba por conseguir com que o seu bebê conheça os diferentes sabores e texturas e caso ele rejeite alguma fruta, você pode tentar oferecê-la algum tempo depois até que ele aceite.

Lista Alimentos Introdução Alimentar Bebê

Dica: cuidado com alimentos que possam estimular a produção de gases, como o ovo e o feijão, por exemplo, que potencializam as chances do bebê sofrer algum tipo de cólica ou mal-estar após a refeição.

Posso oferecer carnes ao bebê?

De acordo com nutricionistas, passado o período de introdução das frutas na alimentação, o pratinho do bebê deve conter alimentos que façam parte dos cinco principais grupos, que são: proteínas, carboidratos, verduras, legumes e leguminosas. Por isso, uma dica importante é criar um cardápio pronto, com todos os alimentos que serão preparados e oferecidos para a criança.

Outro ponto importante e que você deve levar em consideração é que o estômago dos bebês é bem pequeno e, por isso, as crianças ficam saciadas muito rapidamente. Logo, não exagere na quantidade das porções e, aos primeiros sinais de saciedade da criança, pare de oferecer o alimento.

Contudo, uma dúvida frequente entre muitas mamães envolve oferecer carnes ao bebê. Nesse sentido, é importante destacar que as carnes podem e devem estar presentes no cotidiano da criança já desde o início da introdução alimentar, pois são uma importante fonte de proteínas e minerais.

Assim, a dica aqui é optar por carnes mais macias, que devem ser oferecidas para a criança bem picadinhas ou em pedaços um pouco maiores para que a criança possa chupar, uma vez que os primeiros dentes ainda podem não ter nascido e a criança tenha dificuldade em mastigar. Além disso, carnes como peixes e frango também podem ser oferecidos, mas sempre desfiados para facilitar a ingestão.

Quais líquidos oferecer ao bebê na introdução alimentar?

Líquidos Introdução Alimentar Bebês

Essa é uma pergunta importante, pois muitas mamães ficam em dúvida se podem dar água, suco, chá ou água de coco para o seu bebê ou se devem oferecer apenas o leite materno como opção de líquido.

Apesar de os líquidos serem importantes no contexto de introdução alimentar, é preciso tomar alguns cuidados para não atrapalhar esse processo. Isso porque muitas mamães tendem a oferecer sucos de frutas para a criança no lugar da fruta picadinha ou amassada, o que é uma atitude completamente errada.

Ao substituir a fruta pelo suco, você acaba fazendo com que o bebê não conheça a textura da fruta e não desenvolva a mastigação, o que é extremamente prejudicial para o processo de introdução alimentar antes da criança completar o primeiro ano de vida.

Por isso, a dica aqui é dar preferência pela água, sempre. Ou seja, se você notar que o bebê tem sede, ofereça primeiramente a água filtrada e de boa qualidade. Ocasionalmente, você pode oferecer a água de coco ou chás, desde que sem cafeína e sem açúcar. Já os sucos devem ser evitados antes de a criança completar 1 ano.

Quais alimentos são proibidos no primeiro ano de vida da criança?

Apesar de a crença popular dizer que bebês precisam comer de tudo, saiba que isso é um grande mito, por isso, você não deve dar ouvidos a quem defenda esse tipo de informação errada. Isso porque o organismo do bebê ainda está em formação ao longo do primeiro ano de vida e, por isso, alguns tipos de alimentos podem ser extremamente prejudiciais para a saúde dos pequenos.

Confira alguns dos alimentos que devem ser evitados antes de a criança completar 1 ano de vida:

  • Leite de vaca e seus derivados;
  • Sal;
  • Sucos;
  • Açúcar;
  • Mel;
  • Carnes cruas;
  • Papinhas prontas.

Os alimentos acima contêm substâncias das quais o organismo do bebê ainda não está pronto ou pode ter dificuldade em processar, o que pode gerar problemas digestivos ou até mesmo atrapalhar o processo de introdução alimentar.

Na hora de temperar a comidinha do bebê, dê preferência para temperos naturais, como ervas, alho e cebolas e não coloque sal na comida. Temperos industrializados também são proibidos aqui, pois são uma fonte gigantesca de sódio.

Quando parar de amamentar?

Bebê Amamentando Introdução Alimentar

Com o início da introdução alimentar para bebês, muitas mamães ficam em dúvida se devem continuar amamentando seus filhos ou se já podem parar quando eles começam a comer alimentos sólidos. Todavia, é importante destacar aqui que a amamentação é sim recomendada até os dois anos de idade, mesmo que a criança já coma outros tipos de alimento, conforme informações da OMS.

O leite materno é uma das principais fontes de nutrientes para a criança e, por isso, enquanto você puder amamentar o seu filho, faça isso. Dessa forma, você contribui para que o sistema imunológico da criança se desenvolva, bem como a sua flora intestinal, o que resulta em mais saúde ao longo de toda a vida.

Assim, se você tem dificuldades em amamentar, procure ajuda especializada ou mesmo bancos de leite para que seu filho possa ter acesso a esse alimento precioso e importante no seu desenvolvimento.


E você, ainda tem alguma dúvida sobre a introdução alimentar para bebês? Quer compartilhar suas experiências conosco? Então não se esqueça de deixar um comentário ao final deste artigo.

La Luna e os cookies: a gente usa cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.